Trilhas autoguiadas são nova atração na Serra Gaúcha

Contemplar paisagens em meio à natureza, percorrendo trilhas repletas de fauna, flora, rios e quedas d’água cristalinas, sem a necessidade de um guia, é o novo atrativo para os visitantes que chegarem a São José dos Ausentes, região dos Campos de Cima da Serra. Implementado através de um projeto do Sebrae/RS, o mais recente produto turístico do Estado trata-se de uma rota que percorre a maioria das 11 pousadas rurais do município. Denominado Trilhas da Fazenda – Entre Serras, Cânions e Rios, o roteiro já está disponível em seis fazendas. Outras duas ainda estão preparando a estrutura necessária para que os caminhos a serem percorridos possam ser autoguiados pelos turistas.

Para ser implementado o roteiro, foi realizado um mapeamento das trilhas da região. “Todo o traçado foi feito a partir de referências e normas da ABNT para trilhas, identificando possíveis riscos, para que fossem aplicadas as devidas adaptações”, explica o gestor de projetos de turismo da Serra gaúcha pelo Sebrae/RS, Emerson Bitencourtt Monteiro. “Foram inseridas pedras em áreas encharcadas e corrimãos de madeira em locais com risco de queda”, diz.

Trilhas autoguiadas são nova atração na Serra Gaúcha

As adaptações foram feitas, sem interferência na parte cênica ou ambiental, pondera Monteiro. Localizadas em fazendas, as trilhas possuem diferentes características e percursos, sendo que algumas permitem que se aviste parte dos 60 cânions do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, na região dos Aparados da Serra. “Foi uma grata surpresa”, afirma o casal de médicos Vivian Aquino e Daniel Pedrollo, que descobriu por acaso que a hospedagem eleita agora oferece uma trilha autoguiada como atrativo.

Os dois viajaram para São José dos Ausentes no último fim de semana para descansar em meio à natureza. A primeira atividade foi conhecer o trajeto aberto dentro da Pousada Fazenda Potreirinhos, com vista para uma floresta de araucárias e para uma cachoeira em meio à mata. “Gostamos de locais isolados, e a trilha proporcionou belas paisagens”, conta Vivian. “Foi fácil, subimos um cerro, de onde avistamos toda a região, e atravessamos um rio até chegar em uma cachoeira. É tudo muito bonito.”

Trilhas autoguiadas são nova atração na Serra Gaúcha

Famosa por sua geografia desenhada pelos Campos de Cima da Serra e os cânions do Parque Nacional dos Aparados da Serra, a cidade, que abriga 3,5 mil habitantes, tem crescido em turismo. “Nosso público de visitantes chega a 8 mil pessoas por ano”, informa a coordenadora da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura de São José dos Ausentes, Janaína Oliveira Bianchini. Um dos atrativos da cidade é o Cânion e Pico Monte Negro, com 1,4 mil metros de altitude. “É o lugar mais alto do Estado”, observa Janaína. “Nosso principal atrativo é justamente o passeio a cavalo até o Cânion e Pico Monte Negro”, comenta o gerente administrativo da Pousada Fazenda Monte Negro, Anápio Pereira, uma das seis inseridas no novo roteiro de trilhas autoguiadas do município.

Antes do projeto com o Sebrae, a empresa não tinha investido na abertura da trilha. Com a novidade, a expectativa é de que se crie um circuito com os demais estabelecimentos, incrementando o fluxo de visitantes. “E o mais importante: passamos a oferecer mais uma forma de interagir com o hóspede”, avalia Pereira. Ele acredita que o produto deve “fortalecer ainda mais o empreendimento”, que já conta com taxa de ocupação média de 90% a 100% durante os fins de semana. Para os hóspedes das pousadas, o passeio pelas trilhas é liberado, sem custos. Mas os visitantes de fora devem pagar uma taxa média de R$ 10,00 a R$ 20,00, dependendo da propriedade. Segundo Monteiro, os trajetos terão acessos limitados por número de pessoas/dia para causar o menor impacto possível no meio ambiente.

A empresária Nilda Eliana Nakes Salib acredita que as trilhas autoguiadas representam um up-grade no cardápio de alternativas turísticas da cidade. “A iniciativa contribui para que se valorize ainda mais nossa geografia e toda a natureza do entorno.” Proprietária da Pousada Fazenda Potreirinhos, Nilda afirma que a proposta a “cativou” por se tratar da exploração do potencial adormecido no empreendimento. “Já oferecíamos passeios a cavalo e pesca esportiva”, comenta a empresária. “Agora, com as caminhadas pela trilha, os visitantes poderão contemplar lindas bromélias em meio à mata e avistar os rios Silveira e Divisa (a trilha termina no desnível de ambos), entre outras belezas naturais dentro da fazenda.”

Dentro da Pousada Potreirinhos são 1,9 metros de trilha. Para completar o caminho, que conta com algumas subidas e descidas pelos campos da fazenda, a dificuldade é moderada. No trajeto, é possível avistar muitas gralhas azuis, um xaxim centenário e até o cemitério da família, construído em 1901. “É um pedacinho do paraíso”, ilustra Nilda.

A lida no campo, inclusive, é um dos atrativos das hospedagens rurais. “Servimos café campeiro e comida típica nas demais refeições, com produtos cultivados na fazenda”, comenta o gerente administrativo da Pousada Monte Negro, Anápio Pereira. Como se trata de um produto rural, uma das atrações é espantar o frio bebendo o “Camargo” e assistindo como é feito. “O leite é tirado da vaca direto em um copo com café preto e puro”, explica o sócio-proprietário da Pousada Flor de Açucena e presidente da Associação das Pousadas Rurais e Urbanas de São José dos Ausentes, Cesar Birnfeld.

“A crise ainda não chegou por aqui. Tanto é que o mercado nos ‘forçou’ a criar este produto, justamente porque a gente vem em um crescente de atendimento.” Birnfeld explica que as trilhas devem suprir uma lacuna que ficava antes da criação do produto. “Antigamente, o pessoal chegava na cidade e não tinha muitos atrativos, ou capacidade de receber todos para os passeios disponíveis – então sentíamos que o turista saía um pouco frustrado.” Com as trilhas autoguiadas, a expectativa é de que a permanência de visitantes na cidade aumente, acrescenta o dirigente.

Fonte: Jornal do Comércio – com alterações